Pessoas de estimação

Do ponto de vista moral, seres humanos são falhos. Talvez, porque a moral seja justamente um ponto de vista unicamente humano. Mas, enfim... São falhos, defeituosos.

Assim sendo, é perigoso demais eleger alguns humanos como "pessoas de estimação". 

Sabe do que tô falando, né? Não é transformar uma pessoa num pet, seu besta. E sim, eleger uma pessoa como perfeita, como um modelo à prova de falhas. 

O caminho para a decepção, neste caso, é certeiro.  

Seres humanos tem momentos de brilhantismo, e estes devem ser admirados, sim! Mas é, no mínimo, "inteligente" lembrar que a mesma pessoa que pratica um ato brilhante pode ter seus lados obscuros. E vice-versa!

O lado obscuro não tira o mérito do ato brilhante.  

O ato brilhante não apaga as falhas.  

 

Admirar os atos de alguém é diferente de idolatra-lo.  Julgar alguém idiota não quer dizer que nada bom saia dele. 

Fala direito, menino!

Eu sou cheio deles: vícios de linguagem. 

E naquela velha tentativa de melhorar a vida, um pouquinho por dia, eu resolvi dar um pouco de atenção à forma como eu me comunico verbalmente. 

O resultado? Descobri que minha fala é BEM mais viciada do que eu pensava. E eu também me diverti, fazendo um vídeo de poucos minutos e cheios de "éééé". 

E você? Tá melhorando que área da sua vida, no momento? 

O x da questão (ou: o mundo tá difícil?)

image.jpg

acorde um pouco mais cedo
tome um banho um pouco mais frio
ligue pra um cliente a mais
escreva uma linha a mais
durma um pouco mais cedo
uma série a mais de agachamentos
cem metros a mais
pense um pouco mais
fique em silêncio, um segundo a mais
um capítulo a mais
um livro a mais
conheça-se um pouco mais
trabalhe uma hora a mais
deixe de fazer mais uma reclamação
enfrente um medo a mais
mais um beijo
mais um elogio
um minuto a mais
uma hora a mais
1% a mais
faça mais do que te faz bem
todos os dias

"não é o mundo que está duro.
é você que está mole"

Sobre a impotência

Quer se sentir "um nada"?  

Impotente?

Amarrado?

Prive-se dos seus recursos.  

Tudo aquilo que te ajuda a conseguir algo: a cafeteira que te ajuda a despertar, o laptop pra digitar suas ideias, o carro pra te levar ao trabalho ou o gás que aquece suas panelas.  

Ou recursos humanos: o líder que te mostra qual decisão tomar, o amigo que dá o apoio moral em tempos difíceis ou a vó que empresta um dinheirinho quando sua conta não fecha no fim do mês.  

 

Quer se sentir "um tudo"? 

Capaz? 

Livre? 

Prive-se dos seus recursos.

 

E a soma de necessidade com criatividade faz a mágica acontecer.

 

(escrito pelo cara que deixou o laptop no trabalho, mas não queria deixar de escrever seu post ao acordar... E deu um jeito) 

Seu coxinha!

Faça um teste rápido: olhe ao seu redor e procure uma janela. Agora tente se aproximar dela, mantendo-se o mais longe possível dela. 

Não deu? Pareceu um comando estúpido, não é? “Chegue perto, mas fique longe”. 

Esta é justamente a ordem que você dá ao seu cérebro quando pensa que quer ganhar mais, ficar rico e ter uma vida melhor, mas ao mesmo tempo olha com desdém para os que tem dinheiro, ou condena atitudes dos ricos (não estou falando de atitudes imorais ou anti-éticas, claro). 

Se é “ficar rico” o que você quer, acostume seu cérebro, sua vida e todos ao seu redor que “ser rico é bom”. Prometo mudanças na sua vida. 

 

É só uma questão de coerência. 

Escreva

Não importa se você é designer, engenheiro civil, mecânico, bombeiro ou developer: escreva.  

Aprenda a escrever.

Isso se faz -adivinha?- escrevendo. Só assim. 

Quem escreve bem, se expressa bem.
Quem se expressa bem, pensa bem. 

Quer começar? Um blog, uma conta no Twitter ou Tumblr, ou um caderninho já bastam. E alguns parágrafos por dia também bastam, pra começar.

Escreva. 

Arrume uma desculpa para começar agora

Você é precisamente quem você merece ser.

Ponto. 

Tudo o que você faz ou fez resultou no que você é hoje. No lugar onde você está, no emprego que você tem, nas pessoas com as quais você convive, no salário que te pagam e nas besteiras que você é "obrigado a ouvir". 

Pare de culpar os outros. Não se coloque na posição de vítima.

É hora de assumir as rédeas da sua vida, e passar de espectador a protagonista. Agora. 

Não há tempo. Não há desculpas. Se for pra arrumar uma desculpa, arrume uma para começar, e não o contrário. 

Quantas desculpas você já deu para não começar? 

- Não tenho as ferramentas
- Não sei
- Não tenho dinheiro
- O que vão pensar de mim?
- Estou ocupado demais

Pensa assim: quem fará por você? E se você não fizer, o que vai ser de você em vinte anos? 

Simplesmente defina um objetivo claro e atingível, e comece. 

 

(um texto feito de mim para mim mesmo)

Se alguém pode...

O fato de existir alguém que consiga é um excelente indicador de que você também consegue.  

O fato de não existir ninguém que consiga pode indicar que ninguém tentou o suficiente, ainda.  

Você não é pior do que ninguém, e ninguém deve nada a você. Pode ser cruel, mas é a verdade.  

Como definir um objetivo

Essa eu li no fantástico livro "Personal MBA", do Josh Kaufman

"Eu quero escalar até o topo do Everest antes do meu aniversário de quarenta anos e tirar uma foto panorâmica para emoldurar e pendurar na minha parede como um troféu". 

Você consegue perceber as diferenças entre a frase acima e as abaixo? 

"Quero escalar uma montanha"
"Quero subir no Everest"
"Quero ser feliz"

Objetivos úteis são estruturados. Um bom objetivo pra sua vida (ou pra uma simples tarefa do dia-a-dia) pode seguir o formato PICE: Positivo, Imediato, Concreto e Específico. 

Positivo: Algo que você se aproxima, não que se distancia. "quero fazer um determinado exercício" é diferente de "quero deixar de ser gordo". 

Imediato: Tenha prazos. Por maiores que sejam, tenha prazos. Nada de "um dia". 

Concreto: "Quero ser feliz" não adianta de nada se você não definir o que é felicidade pra você. Experimente: "passar duas horas por dia brincando com meu filho", "assistir um por do sol por semana" ou o que quer que te deixe satisfeito. 

Específico: O que, onde, quando e, se possível, pra quê. "Escalar o Everest, antes dos 40, tirar uma foto panorâmica".

Certeza de satisfação ao final das suas metas. Pode apostar. 

 

(este post, por exemplo, começou com "quero escrever um post sobre metas claras amanhã de manhã enquanto tomo um café amanteigado". Deu certo!)